Sites Grátis no Comunidades.net
Translate this Page

Rating: 3.4/5 (456 votos)



ONLINE
1





Partilhe este Site...

 

 

           


       


       


       


       


       


       


       


       


       


       


     


     


     


     


     


 

     


     



Total de visitas: 209794
Estudo do Livro de Jeremias
Estudo do Livro de Jeremias

 

                          Profª. Marilda Gomes 


 

FRF

O QUE É A BÍBLIA

Estudo Sobre Ezequiel

Estudo do Evangelho de Mateus             

Estudo do livro de Isaías  

GRUDEM-O governo da igreja

Uma Análise de 2Tm 2

Propostas de Jesus para uma vida feliz        

A Tipologia Bíblica em Levítico                                                                                                                             

                                                                              ds


 

Estudo do Livro de Jeremias (um dos livros mais emotivos do AT e de difícil entendimento ao leitor casual)

 

Autor: Jeremias (O profeta das lágrimas era um homem solitário e rejeitado, de mensagem severa, porém, com o coração sensível e quebrantado, era ousado e corajoso)

 

Tema: o Juízo Divino e inevitável de Judá

 

Profetizou: Reino do Sul – Judá

 

Período: cerca de 626 – 586 a.C. (40 anos)

 

Vers. Chave: 1-18 – Deus capacitando Jeremias

 

Aplicação pessoal: Não pense que Deus não o chamará para uma determinada missão só porque você não tem o “dom natural” para ela.

 

Sua mensagem:

Algumas de suas mensagens são da época do piedoso rei Josias (640-609 a.C.) mas, a maioria é do tempo de seus sucessores, Jeoaquim (609-598 a.C.), Joaquim (598-597 a.C.) e Zedequias (597-586 a.C.)

 

Jeremias era tão odiado que não tinha a permissão de ir até o rei, então ele pediu ao seu fiel secretário, Baruque, que escrevesse suas profecias.

Depois disso, Jeudi, as leu diante do rei Joaquim e o monarca demonstrou desprezo a Jeremias de modo que cortou e queimou o rolo com as profecias.

Jeremias voltou a ditar as profecias e desta vez, acrescentou até mais do que estava escrito no primeiro rolo.

 

Era odiado até mesmo pelos seus familiares (12.6) por onde quer que fosse ele ouvia maldições e zombarias, como resposta, clamava a Deus com veemência que Deus julgasse seus inimigos, também tentou desistir do seu ministério, Deus no entanto exigiu que continuasse sua tarefa

 

Acontecimentos:

 

612 a.C. Nabucodonosor invadiu  Jerusalém e capturou alguns dos jovens mais seletos, entre eles, Daniel e seus três amigos.

 

597 a.C. Segunda invasão, onde levaram cerca de 10.000 cativos á Babilônia, entre os quais, Ezequiel.

 

586 a.C. Última invasão, onde foi tomado o templo e Jerusalém foi destruída. Nessa época, levaram Jeremias contra sua vontade ao Egito e lá, ele continuou profetizando até sua morte.

 

 

Divisão do Livro:

I – A Missão de Jeremias – Cap. 1-10

II – A violação da aliança – Cap. 11-20

III – A aproximação do julgamento – Cap. 21-29

IV – A nova aliança – Cap. 30-33

V – A queda de Jerusalém – Cap. 34-52

 

Estudo do Livro de Jeremias

 

I Seção – A missão de Jeremias Cap. 1 – 10:

Cap. 1 – A vocação e a primeira visão de Jeremias

 

Vers. 1 – 3 Jeremias era filho do sumo sacerdote, Hilquias (2 Re 22) ele encontrou o livro da lei (Pentateuco) escrito por Moisés e ajudou Josias com seu propósito de limpar Jerusalém. Josias acabou com as falsas religiões.

 

Profetizou também no reinado de Jeoaquim, filho de Josias e Zedequias.

 

Vers. 4 – 10 Seu chamado – A conversa de Deus com Jeremias, onde o Senhor o encoraja e toca em sua boca para colocar as palavras dEle.

 

Vers. 11 – 16 Deus pergunta a Jeremias o que ele via e cada uma das suas visões tinha um significado:

 

Ex.: uma vara de amendoeira: esta é a primeira arvore que brota na primavera, significa que a Palavra de Deus cumprir-ia-se rapidamente e que Deus estava controlando a história.

 

Ex.: uma panela a ferver, cuja face está para a banda do norte: a invasão viria do norte – Babilônia, porque o povo havia abandonado a Deus, oferecendo sacrifícios a outros deuses.

 

Vers. 17 – 19 Palavras de ânimo de Deus para Jeremias

Deus também avisou que ele passaria por pelejas, mais que ele não estaria só.

 

Cap. 2 – Jeremias é enviado a Jerusalém para a repreender pela sua rebelião

 

Vers. 5 – afastaram de Deus, tornaram-se levianos

Vers. 7 – Deus havia oferecido uma terra fértil para sEu povo, porém, eles ao entrarem na terra, aquilo que não O agradava.

Vers. 8 – Os sacerdotes já não sentiam mais quando Deus estava ou não naquele lugar, os profetas profetizavam por Baal.

Vers. 19 – castigo

 

Jeremias também comparava aquele povo como uma prostituta

 

Cap. 3  - Israel e Judá são exortados a arrepender-se – promessa de redenção

 

Vers. 6

Aqui Jeremias mostra que o reino do Norte Israel, havia pecado e se afastado de Deus, como resultado foram levados cativos pela Assíria em 722-721 a.C. enquanto que Judá estava no mesmo caminho.

 

Vers. 16-19 tratam da era Messiânica, a arca não seria mais necessária, já que o Messias estaria com o povo

 

Cap. 4 – A invasão estrangeira anunciada e descrita

 

O capítulo 4 descreve a desolação que dentro em breve atingiria o povo de Deus por causa de seu pecado, aprenderiam quão mal e amargo é abandonar a Deus.

 

Vers. 6 – um mal do norte – era Nabucodonosor

 

Vers. 19 – Um pouquinho da personalidade de Jeremias, ele experimentou a agonia de Deus.

 

Cap. 5 – Continuação da profecia de Jeremias

 

Vers. 1 – o retrato da situação de Jerusalém; não tinha um homem que praticasse a justiça

 

Vers. 9 – o Senhor castigaria aquele povo

 

Vers. 12 – As pessoas pecavam e se iludiam dizendo que nada aconteceria

 

Vers. 31 – O pecado começava desde o maior; os profetas só profetizavam aquilo que era “bom”

 

Cap. 6 – Vers. 2 – Deus deixaria Jerusalém desolada

 

O capítulo 6 descreve a grande destruição que dentro em breve sobreviria a Jerusalém e seu povo.

 

Essa mensagem cumpriu-se durante a vida do profeta Jeremias, ele os chamou para o arrependimento e que renovasse seu concerto com Deus.

 

Vers. 8 – Deus dava chances ao povo

 

Vers. 11 – 15 Jeremias falava exatamente o que estava acontecendo, Deus mostrava o coração dos homens e sua linguagem era bem clara de que o mal estava por vir. (ler vers. 15)

 

Jeremias também advertia ao povo para o arrependimento.

 

Cap. 7, 8, 9 e 10 – Promessas e ameaças proferidas à porta do templo

 

As pessoas acreditavam que no templo estariam seguras, entretanto, Jeremias disse que a segurança daquele lugar dependia da mudança do povo.

 

Deus mandou que Jeremias ficasse na porta do templo para profetizar ao povo e assim Jeremias fez:

 

Jeremias falava que estava faltando amor (v.6) não confiar em palavras falsas (v.8) mostrou também que estavam queimando incenso a Baal (v. 9)

 

Vers. 16 – Deus disse para Jeremias não orar pelo povo

 

Vers. 18 – deusa chamada Rainha dos Céus, as mulheres prestavam culto a ela, pois diziam ser a deusa da fertilidade – provocavam a ira de Deus

 

Vers. 23 – A ordenança de Deus era de que o povo andasse em se uns caminhos e que fizessem aquilo que Ele mandasse então tudo ira bem.

 

Mais o povo não queria e se inclinava para o mal.

 

Cap. 8 -

 

Em seu discurso na porta do templo, Deus usava Jeremias para mostrar ao povo seus pecados, já no primeiro discurso público de Jeremias o povo começou a odiá-lo, enquanto ele dizia que não haveria paz, os falsos profetas profetizavam paz e o povo acreditava nos falsos profetas.

 

Vers. 7 – Distorciam a palavra de Deus – para sua própria condenação – ler 2 Pe 3.16 (há partes difíceis de entender e alguns a torcem para sua própria perdição).

 

Vers. 18 -23 – um pouquinho da personalidade de Jeremias, ele falava aquilo que Deus mandava, porém era sensível, ele sentia compaixão pelos seus irmãos.

 

 

Cap. 9 -

 

Jeremias intercede pelo povo, sua angústia era tão grande que ele sentia vontade de deixar tudo.

Vers. 1 – ele queria chorar, mas sua dor e angústia era tão grande que não conseguia. Ele era um homem de coração quebrantado.

 

Vers. 8 – falsidade

 

Vers. 20 e 21 – As carpideiras, mulheres contratadas para prantear nos funerais, aqui Jeremias as chama.

 

Cap. 10 – Os ídolos e o Senhor

 

Ídolos que o povo fazia, Jeremias diz para não ter receio deles, porque nada poderiam fazer – nem o bem, nem o mal, não podiam caminhar (alguém tinha que carregar), não há espírito nela (v.14)

 

Vers. 6 – O senhor é grande, a Ele sim, devemos temer

 

II Seção: A violação da aliança Cap. 11 - 20

Cap. 11 – O pacto é violado

 

Deus deu a ordem a Jeremias para falar suas palavras e Jeremias disse “amém, o Senhor” (v.5)

 

Deus lembra do passado, quando Ele diz de promessas aos seus pais, significa aqueles que foram tirados da terra do Egito.

 

O que Deus queria é que o povo desse ouvido a Suas palavras e fizessem a parte deles, já que Ele (Deus) estava fazendo a parte dEle.

 

Vers. 13 – O povo havia feito muitos deuses e queimavam incenso a Baal.

 

Vers. 14 – Deus diz a Jeremias para ele não orar por aquele povo (outras citações estão em Jr 7.16 e 14.11) Este versículo pode ser aplicado aos crentes que oram e não recebem resposta, pode ser que estão sendo rebeldes.

 

Vers. 19 – projetos contra Jeremias

 

Vários homens de Anatote, cidade natal de Jeremias, estavam tramando mata-lo, já que ele os incomodavam mostrando seus pecados e idolatria.

 

Deus garantiu ao profeta que nada aconteceria a ele e que aqueles que estavam tramando contra sua vida, esses sim, morreriam (Deus não pediu a opinião de Jeremias, Ele deu o veredicto).

 

Jeremias continuou profetizando.

 

Cap. 12 – O que estava por vir

 

Jeremias advertia Judá, porém existia aquele pergunta: quando é que Deus fará justiça? Por que o ímpio prospera? No tempo certo o Senhor age

 

Vers. 5 – o que Jeremias estava sofrendo nas mãos dos sacerdotes de Anatote,  não tinha nem comparação com o que ainda estava por vir.

 

Vers. 6 – Até seus irmãos estavam contra ele.

 

 

Cap. 13 – O cativeiro e representado por um cinto de linho

 

O Senhor mandou que Jeremias comprasse um cinto de linho e colocasse em seus lombos. Depois veio novamente a Palavra do Senhor dizendo a Jeremias que ele deveria esconder o cinto na fenda de uma rocha e depois de algum tempo, o Senhor mandou que ele voltasse lá e retirasse o cinto e quando ele o retirou, estava apodrecido e logo o Senhor falou:

 

Vers. 9 – do mesmo modo acontecerá com Judá, será como o cinto que para nada serve

 

O cinto era uma roupa de baixo, uma espécie de saia curta, usada sobre os quadris, simbolizava tanto o relacionamento intimo de Israel com o Senhor, quanto sua pureza.

 

Cap. 14 e 15 – Jeremias, em vão, intercede pelo povo

 

Vers. 3 – Não tinha água.

 

Naquela época veio uma grande seca, de modo que causou extrema falta de viveres, de tal ordem, que pessoas e animais foram levados a exaustão, o fato chegou mesmo a estimular Judá a confessar seus pecados, entretanto, Deus recusou a responder.

 

Jeremias se desesperava, ele sofria pelo povo, mesmo todos o odiando, ele pedia a Deus que punisse rapidamente aquele povo, ver as pessoas sofrendo, fazia com que ele sofresse também.

 

Mesmo assim devemos esperar o tempo de Deus.

 

Vers. 11 – O povo começou a analisar a situação e Deus disse a Jeremias: para que ele não rogasse por aquele povo.

 

Vers. 12 – Deus não os ouviria

 

Enquanto isso os profetas profetizam que estaria tudo bem (v.13), profetizavam falsamente.

 

Vers. 19 -22  Jeremias intercede pelo povo

 

Cap. 15 – Vers. 1 – 9 Deus responde a intercessão que Jeremias fez em 14.19-22

 

Deus disse que não atenderia nem mesmo se Moisés e Samuel intercedessem.

 

Vers. 1 – Ainda que Moisés e Samuel intercedessem, Deus não aceitaria

 

Vers. 6 – Deus já estava cansado de arrepender. Deus se arrepende, não como o homem.

 

Vers. 16 -18 Jeremias amava a Palavra de Deus, não se corrompeu como os outros, vivia solitário, era rejeitado e perseguido e sofria.

 

Cap. 16 – Predição do cativeiro e do livramento de Israel

 

No capítulo 16 Deus diz a Jeremias para ele não se casar, já que o fim seria trágico. Deus não queria que ele sofresse posteriormente.

 

Vers. 4 - Deus também disse para que ele não chorasse em funerais, já que isso aconteceria muito.

 

Vers. 8 – Jeremias não deveria participar dos banquetes, já que Deus tiraria toda alegria do povo

 

E Deus ainda dizia que quando Jeremias pronunciasse as palavras ao povo e eles perguntassem porque Deus traria tanto mal, era então para Jeremias dizer que era por causa do pecados de seus pais por adorar outros deuses e porque os pecados deles eram ainda maiores.

 

Cap. 17 – O pecado de Judá

 

O povo estava pecando de tal forma, que fazia parte da sua natureza, pela sua maldade seriam levados como escravos.

 

Vers. 5 – 8 Maldito o homem que confia no homem e Bendito o homem que confia em Deus

 

Vers. 14 – 18 Jeremias pedia a Deus que estivessem sempre com ele, os falsos profetas zombavam dele, mas ele permanecia fiel a Deus.

 

Cap. 18 – O vaso do oleiro. A impenitência do povo

 

Deus mandou que Jeremias fosse até a casa do oleiro e ali Ele falaria.

 

Quando Jeremias chegou até aquele lugar ele viu o oleiro fazendo um vaso de barro e aquele vaso quebrou em sua mão, então fez dele outro vaso diferente do anterior.

 

Então o Senhor disse a Jeremias que da mesma forma que o oleiro fez outro vaso, Ele também poderia fazer com Israel, ou seja, quebrar e fazer de novo.

 

Vers. 8 – “Eu me arrependerei” Deus falando (Nm 23.19) – significa que Deus se move com o arrependimento, Ele pode reconsiderar, quem somos nós para dizer que Deus não pode mudar seus planos?

 

Cap. 19 – A botija quebrada. A ruína de Jerusalém

 

Deus mandou Jeremias comprar uma botija e levasse até os anciãos do povo e anciãos dos sacerdotes. (Essa parábola severa mostra que Judá seria despedaçada)

 

E Jeremias assim fez e começou a falar aquilo que Deus mandava, era palavras duras e dizendo o que faziam.

 

As pessoas estavam sacrificando seus próprios filhos.

 

Vers. 9 – Durante o cerco dos babilônicos a Jerusalém em 586 a.C., alguns dos povos praticavam canibalismo demonstrando a calamidade em que chegaram.

 

Vers. 10  e 11 – Quebrar a botija

 

Jeremias dizia todas essas coisas na porta do templo .

 

Cap. 20 – Retalhação – Pasur fere a Jeremias e mete-o no cepo (tronco).

 

Ver. 1 -3 – Jeremias foi provavelmente açoitado com 40 açoites, (ver Dt 25.2,3) mesmo assim o profeta não recuou diante de sua dor física e continuou a prenunciar o julgamento da nação e deu a Pasur um novo nome: Magor-Missabibe (terror de todos os lados). Pasur e a nação não demorariam para enfrentar terror de todos os lados.

 

Essa foi a primeira demonstração da agressão física que Jeremias sofreu

 

Vers. 7 – Jeremias expressa a Deus suas emoções sua depressão. Todos zombavam de Jeremias, ele não sabia que seu fardo seria tão pesado.


Vers. 10 – todos esperavam a oportunidade de dizer que venceram é como se dissessem é o fim dele.

 

Jeremias sofria tanto que foi levado a dizer que antes não tivesse nascido, mas mesmo assim continuava profetizando. 

 

III Seção: A aproximação do julgamento – Cap. 21-29

Cap. 21 – O anuncio da destruição de Jerusalém por Nabucodonosor

 

Nessa época Nabucodonosor estava guerreando contra Jerusalém, então o rei Zedequias, mandou ir perguntar ao Senhor, o motivo de tanta guerra.

 

Esse rei (Zedequias) foi o último rei de Judá, reinava quando Jerusalém caiu. Ele mandou dois sacerdotes ir até Jeremias para saber se o Nabucodonosor iria bater em retirada, mas a mensagem de Deus foi dura:

 

Vers. 4 – Deus disse que iria destruir Jerusalém, entregar nas mãos do inimigo

 

Essa profecia cumpriu-se completamente em 586 a.C. quando os filhos de Zedequias foram degolados diante dos seus olhos pelo rei da Babilônia e a seguir vazou os olhos de Zedequias o qual em grande humilhação foi conduzido acorrentado para Babilônia, onde morreu no exílio.

 

2 Re 25.7

 

Cap. 22– Profecia contra a casa real de Judá

 

Esse capítulo não segue ordem cronológica, esse aconteceu foi antes do anuncio do capítulo 21.

Rei Salum, também chamado de Jeoacaz (2Re 23.31; 2Cr 36.1-4) quarto filho de Josias, foi rei por 3 meses a seguir foi levado cativo para o Egito, onde morreu.

 

Vers. 3 – a ordem ao Rei

Se ele obedecesse tudo bem, se não obedecesse Vers. 5 – sua casa viria ser assolada

 

Esse rei deveria olhar mais para o necessitado e ajuda-lo.

 

Cap. 23– Pastores, Jesus, falsos profetas

 

Os reis, sacerdotes e profetas designados por Deus para cuidar do povo, estavam, ao invés de ajuntando, espalhando.

 

Vers. 5 - Jeremias também fala sobre a vinda do Messias da linhagem de Davi.

 

Os falsos profetas:

Vers. 14 – praticavam o mal

 

Vers. 16 – observar se o profeta fala do Senhor, ou se do seu próprio coração

 

Os falsos profetas diziam que paz haveria, que não haveria guerra e o Senhor dizendo que viria guerra sim, eles diziam que haviam sonhado (v.25).

 

Vers. 31 e 32 – O perigo de dizer: “Assim diz o Senhor...”

 

Cap. 24– Mediante 2 cestos de figos, o futuro do povo é revelado

 

1 cesto de figos bons – dos exilados de 597 a.C. esses voltariam renovados

1 cesto de figos ruins – dos exilados de 586 a.C. esses não voltariam

 

Cap. 25– Os 70 anos do cativeiro e depois a ruína de Babilônia

 

Havia 23 anos que Jeremias estava pregando, mais o povo não o ouvia

 

Vers. 11 – Servirão ao rei da Babilônia por 70 anos

 

Esses 70 anos são contados da seguinte maneira:

  • começa a contar em .C quando foi levada a 1ª leva de pessoas (no quarto ano do rei Jeoaquim)605 a
  • vai até 538 a.C. após o decreto de Ciro, rei da Pérsia (1ª leva de volta) Ed 1.1

 

Vers. 12 – em 539 a.C. os medo-persas venceram Babilônia, então o poder já estava com os Persas

 

Os versículos seguintes falam de nações que lutaram contra Israel, todas seriam destruídas

 

Cap. 26– Jeremias prediz a ruína do templo e de Jerusalém e corre perigo de morte

 

O Senhor mandou Jeremias ir para o templo e falasse as palavras a todos que viessem adorar a Deus e não esquecesse de nenhuma palavra

 

Vers. 6 – Jeremias falou que a cidade ficaria destruída

Quando ele terminou de falar, foram todos contra ele. Os príncipes disseram: Esse homem é réu de morte e Jeremias disse: O Senhor mandou eu falar todas essas palavras.

 

Vers. 14 e 15 – Jeremias disse que até poderiam mata-lo, mas se fizessem eles arrependeriam.

 

Então aqueles homens viram que ele falava palavras de Deus, começaram a refletir e lembraram que outro profeta, Urias havia profetizado e o tinham matado.

 

Cap. 27– Jeremias aconselha submissão ao rei da Babilônia

 

Vers. 2 – o jugo no pescoço

 

Era necessário o cativeiro, os judeus aprenderiam muito naqueles anos.

Deus manda que o povo sirva ao rei Nabucodonosor, Deus chama Nabucodonosor de servo, não porque ele fosse fiel, mas porque Deus o usaria para castigar seu povo e no tempo certo Ele cuidaria de Nabucodonosor.

 

Cap. 28 – falso profeta, Hananias 

 

Hananias era o falso profeta que suas profecias eram populares

 

Esse profeta fala a Jeremias, que em 2 anos todos os utensílios que haviam sido levados da casa do Senhor iriam retornar (significava que todos os cativos retornariam e não era bem assim, nem todos retornariam) – estava indo contra a palavra que Jeremias falava.

 

Vers. 8 – Amém - Jeremias até que queria que todos os cativos voltassem mais ele sabia que aquilo não aconteceria.

 

Vers 9 - Jeremias também falou, vamos ver, o que cumprir a palavra primeiro, essa é a Palavra de Deus.

 

E Hananias tomou o jugo de madeira e o quebrou e ainda disse: “Assim diz o Senhor: Assim quebrarei o jugo de Nabucodonosor...” (v.11)

 

Mas o Senhor não queria isso, usou Jeremias para dizer que ao invés de jugo de madeira estava colocando jugo de ferro e que naquele ano ele (Hananias) morreria.

 

Morreu (v.17)

 

Cap. 29 – A carta de Jeremias aos cativos da Babilônia  

 

Parte do povo já havia sido levada em cativeiro para Babilônia e Jeremias escreveu-lhes uma carta, dizendo que ali edificassem casas, plantassem e colhessem, ou seja, viver uma vida normal, também não deveriam dar ouvidos aos falsos profetas e que os que ficaram em Jerusalém, esses sofreriam muito e que ao final dos 70 anos, o Senhor os traria de volta.

 

Vers. 11 – 14 – O Senhor quer  o bem daqueles que são obedientes

 

Vers. 21 – Fala de dois falsos profetas (que cometiam adultério e profetizavam falsamente) o que aconteceria com eles.

 

 

IV Seção: A nova aliança – Cap. 30-33

Cap. 30 e 31 – Deus promete trazer do cativeiro o Seu povo

 

Esse capítulo fala tanto da libertação do cativeiro como também da vinda do Messias.

Eram boas notícias que Jeremias tinha para o povo, o cativeiro estaria próximo do fim e Deus faria uma nova aliança.

 

Cap. 31 – continuação

 

Esse capítulo fala da redenção, Judá viveria em paz novamente, concerto novo (Jesus Cristo), essa palavra também foi dita aos gentios (aos não judeus) Galatas 3.7-9,29 – se crermos também receberemos as bênçãos ditas a Abraão.

 

O concerto antigo era escrito em pedra, mas o concerto novo seria escrito no coração do povo de Deus.

 

Essa palavra era também para Efraim, Reino do Norte, Israel (que foram levados para Assíria em 722 a.C., os outros pelos Babilônios em 605, 597 e 586 a.C.

 

Vers. 40 – Jerusalém nunca mais seria destruída

 

Cap. 32 – A promessa e o sinal da restauração de Israel e de bênçãos espirituais

 

O rei Zedequias pôs Jeremias na prisão por Jeremias dizer que não deveriam lutar e serem levados cativos.

 

Enquanto estava encerrado (recolhido, preso) Jeremias recebeu ordens de Deus para comprar um campo na sua aldeia natal de Anatote, local já controlado pelas forças da Babilônia. Ainda deveria ter testemunhas, aquele ato parecia ser absurdo, mas Jeremias fez como o Senhor o mandara, também era para demonstrar que depois de algum tempo, os judeus voltariam àquele lugar.

 

Jeremias assim o fez – Primeiro obedeça, depois pergunte.

 

Cap. 33 – Promessa de Deus para o povo

 

Jeremias estava preso quando recebeu essa palavra:

 

Jerusalém estava sitiada e o povo estava sendo dizimados por praga e fome.

 

Vers. 3 – Clama a Mim e responder-te-ei e anunciar-te-ei, coisas grandes e firmes que não conheces. - Havia esperança, essa profecia vai além do retorno de Judá, fala sobre o Messias estabelecerá o Seu reino sobre a terra.

 

Este capítulo encerra a seção conhecida como “O livro da Consolação”, que apresenta a nova aliança. Deus exorta a Jeremias a pedir em seu nome, revelações ainda maiores. Ficava claro que Jerusalém iria cair, mas Deus, vai curar a terra.

 

 

V Seção: A queda de Jerusalém – Cap. 34-52

Cap. 34 – Prediz-se a sorte de Zedequias

 

Veio a Palavra de Deus a Jeremias dizendo para ele ir ate o Rei Zedequias e falasse para ele que Nabucodonosor iria tomar a cidade de Jerusalém, queimar e ele (rei) seria preso.

 

Porem ele seria morto não a espada, em paz, e que seria pranteado, tudo por causa do seu interesse em fazer com os hebreus libertassem seus escravos. Mas o povo depois se arrependeu e voltou atrás.

 

Vers. 22 - Deus usou Jeremias para dar o recado que Jerusalém seria queimada.

 

Cap. 35 – A obediência dos recabitas é dada a Judá como exemplo

 

Esse povo fazia parte de uma tribo nômade aparentada com os queneus e com Jetro, sogro de Moisés. Seu ancestral, Jonadabe (Rs 10.15-27) ordenara que não bebessem nenhum tipo de vinho, não habitassem em casas permanentes e não cultivassem a terra. Pelo contrário, deviam viver como nômades, criando gado. Deus mandou Jeremias provar os recabitas a fim de por em destaque sua fidelidade ao seu ancestral (Jonadabe), para assim contrastar com a infidelidade da nação de Judá ao seu Deus.

 

A abstinência ao vinho, era para evitar a imoralidade e a idolatria a Baal, que geralmente era envolvida de embriagues e orgia.

 

Vers. 6 - Jeremias fez conforme o Senhor ordenou e os recabitas não beberam vinho.

 

Vers. 14 – Deus então fez uma comparação, mostrando que os recabitas haviam dado ouvidos ao seu ancestral e os judeus não faziam assim, eram desobedientes.

 

Vers. 17 – Por causa do pecado de Judá, Deus traria todo mal que havia dito, já com os recabitas, por serem obedientes, não faltaria varão, ou seja, Deus não destruiria aquele povo.

 

Cap. 36 – O rolo de Jeremias é lido no templo, o rei corta-o e lança-o no fogo

 

Esse incidente aconteceu em 605 a.C. – Rei Jeoaquim

 

As profecias de Jeremias eram ditas oralmente, e o Senhor pediu que ele escrevesse tudo aquilo. Jeremias então chamou a Baruque para escrever todas as profecias.

 

Jeremias não podia entrar na Casa do Senhor e pediu a Baruque que ele fosse e lesse tudo ao povo.

 

Cerca de 1 ano depois foi Baruque e fez conforme Jeremias havia dito e os príncipes ficaram sabendo de modo que pediram para buscar os escritos e veio Baruque e leu para eles.

 

Depois fizeram o rei saber de tudo e o rei pediu para lessem para ele,

 

Vers. 21 – Jeudi leu para o rei, umas 3 ou 4 folhas e o rei cortou o rolo e jogou ao fogo, até que foi totalmente consumido.

 

O rei ainda pediu que prendessem a Baruque e Jeremias, mas o Senhor os havia escondido.

 

Vers. 28 – O Senhor mandou Jeremias ditar as profecias outra vez e esse é o Livro que conhecemos e estamos estudando.

 

Cap. 37 – Jeremias na prisão

 

Nabucodonosor havia colocado Zedequias para governar Jerusalém, antes disso o rei Jeoaquim tinha reinado por 3 meses, antes de ser deportado à Babilônia.

 

Zedequias não era fiel a Deus, mas pediu a Jeremias para rogar por eles. Jeremias continuava dizendo que os caldeus iriam voltar.

 

Vers. 13 – Prenderam Jeremias

Vers. 15 – Bateram em Jeremias e o jogaram no cárcere

 

O rei Zedequias mandou soltar Jeremias e falou em segredo: Tem Palavra do Senhor para mim? Jeremias disse: Na mão do rei da Babilônia serás entregue.

 

Cap. 38 – Jeremias é lançado no calabouço (cisterna)

 

Jeremias dizia que o povo deveria aceitar ir com os caldeus e não lutar, porque quem ficasse na cidade iria morrer ou de fome ou de peste, e o povo não aceitava aquilo.

 

Vers. 6 – Lançaram Jeremias no calabouço, lá não havia água, só lama, Jeremias atolou-se na lama.

 

Mas um eunuco ao ficar sabendo, falou ao rei e o rei pediu que o tirassem de lá.

 

Esse capítulo é muito triste, pois mostra que Jeremias sofria muito.

 

Quando Jeremias foi solto o rei Zedequias foi até ele em segredo e perguntou se tinha palavra de DEUS para ele e Jeremias disse que sim e logo respondeu que Vers. 17 se voluntáriamente saíssem e fossem levados cativos nada de mal  aconteceria, mas se resolvessem ficar ou lutar, então seria pior.

 

Cap. 39 –  Nabucodonosor toma Jerusalém e livra Jeremias

 

 Começaram acontecer tudo aquilo que Jeremias havia profetizado.

 

Vers.: 7 – Foram arrancados os olhos de Zedequias.

 

Jerusalém foi destruída

 

Vers. 11 – Nabucodonosor tinha ouvido falar de Jeremias, como Jeremias profetizava dizendo que não era para lutar contra os Babilônios, então houve uma proteção para Jeremias e ele pode ficar.

 

Depois de liberto, Jeremias foi preso novamente por engano, mas foi solto.

 

Cap. 40 – Jeremias fica em Mispa com Gedalias

 

Gedalias foi o rei que Nabucodosor colocou para governar Jerusalém.

 

Os capítulos 40 ao 44.30 tratam de eventos que ocorrem depois da queda de Jerusalém. Muita gente foi levada para Babilônia, enquanto uns poucos foram deixados no país. Os fatos que sucederam depois da queda da cidade demonstram o povo continuou distante de Deus.

 

Gedalias foi um bom rei, reinou por 5 anos e foi assassinado por Ismael, que queria continuar a oposição à Babilônia.

 

Cap. 41 – O assassinato de Gedalias

 

Ismael levou consigo 10 homens e feriu a espada Gedalias.

 

O povo se revoltou contra ele, mas ele conseguiu fugir.

 

Cap. 42 – Jeremias exorta o povo a não ir à terra do Egito

 

Depois da morte de Gedalias, o povo foi até Jeremias para saber qual era a vontade de Deus e Jeremias profetizou dizendo que não era para temer os babilônios e que não era para lutar p.

 

Vers. 10 – Se ficarem em paz na terra, Deus não iria fazer mais mal àquele povo.

 

Vers. 17 – Não era para o povo ir para o Egito.

 

Os lideres não ouviram a voz de Jeremias e foram para o Egito e levaram Jeremias contra sua vontade.

 

Cap. 43 – Jeremias é levado ao Egito pelo povo

 

O povo não queria esta palavra para eles ficarem em Jerusalém, eles queriam ir para o Egito.

 

O povo foi para o Egito e levaram consigo Jeremias, pensando que com ele estariam salvos, Jeremias ao chegar lá, continuava profetizando que todos seriam destruídos.

 

Cap. 44 – Ameaças contra os judeus que fugiram para o Egito

 

Jeremias continuava a profetizar que todos aqueles que não deram ouvidos a Deus, iriam padecer, ou a espada, peste, ou fome.

 

Vers. 18 e 19 - O povo reclamava que depois que pararam de queimar incenso à deusa Rainha dos Céus, então começaram a sofrer. Trata-se do avivamento através de Josias.

 

Cap. 45 – A palavra de Jeremias a Baruque

 

Baruque, fazia parte de uma família bem sucedida. Seu avô fora governador de Jerusalém na época de Josias, e seu irmão, funcionário graduado do tribunal de Zedequias. Sua expectativa era de vira a ocupar algum cargo elevado, mas, para sua frustração, não passou de secretário do homem mais odiado de Judá.

 

Deus dizia para ele não buscar poder nem posição. Tinha era que confiar.

 

Cap. 46 – Profecia contra várias nações. A invasão e conquista do Egito

 

Jeremias profetizou que os babilônios não somente derrotariam o Egito em Carquemis, como também derrotariam os exércitos egípcios na sua própria terra.

 

Cap. 47 – Profecia contra os filisteus

 

Os filisteus ocupavam a região litorânea de Judá. Constantemente houve guerra entre eles e o povo de Deus.

 

Cap. 48 – Profecia contra Moabe

 

Os moabitas foram esmagados pelos babilônios de desapareceram como nação.

 

Os moabitas confiavam muito em sua tecnologia e riquezas.

 

Cap. 49 – Profecia contra Amoniatas

 

Assim como os moabitas são descentes de Ló, também os Amoniatas, que são filhos de Amóm são descendentes de Ló.

 

Seus pecados eram idolatria, orgulho confiança nas riquezas e hostilidade contra Israel.

 

Vers. 7 – Edom – Os edomitas descendiam de Esaú, tinha ódio por Israel.

 

Vers. 23 – Damasco – Damasco era a cidade principal da Síria, o profeta Amós também profetizou contra aquele povo, pela sua crueldade.

 

Vers. 28 – Arábia – Tribos Árabes, filhos de Ismael.

 

Vers. 34 – Elão – O país atualmente chamado Irã, o país sofreria um julgamento divino mais seria restaurado. Vários elamitas estavam em Jerusalém quando do derramamento do Espírito Santo sobre seus discípulos no dia de Pentecostes.

 

Cap. 50 e 51 – Profecia contra a Babilônia

 

Babilônia caiu em 539 a.C. sob o atque de exercito comandado por Ciro da Pérsia.

 

Cap. 52 – O cerco, tomada e destruição de Jerusalém

 

Vers. 11 – Mostra Zedequias tentando fugir e os babilônios arrancaram seus olhos.

 

As três deportações para Babilônia ocorreram em 597 a.C.; 586 a.C. e em 581 a.C. quando se fala de número de judeus, são apenas homens, portanto o numero de exilados foi ainda muito maior