Sites Grátis no Comunidades.net
Translate this Page

Rating: 3.4/5 (484 votos)



ONLINE
1





Partilhe este Site...

 

 

           


       


       


       


       


       


       


       


       


       


       


     


     


     


     


     


 

     


     



Total de visitas: 222320
Estudo do livro de Isaías
Estudo do livro de Isaías

                           Profª Marilda Gomes


 

FRF

O QUE É A BÍBLIA

Estudo Sobre Ezequiel

Estudo do Evangelho de Mateus               

Estudo do Livro de Jeremias

GRUDEM-O governo da igreja

Uma Análise de 2Tm 2

Propostas de Jesus para uma vida feliz  

A Tipologia Bíblica em Levítico                                                                                                                                   

                                                                              ccs


 

Estudo do livro de Isaías (O Senhor é Salvação ou Salvação do Senhor)

 

Profeta Isaías, filho de Amóz (filho mais moço do rei Joás, - Judá) profetizou em Judá durante os reinados de Uzias (2Re 15.32), Jotão (2Re 15.32-38), Acaz (2Re 16.1-20) e Ezequias (2Re 18.1-20.1).

 

ano da morte do rei Uzias: 740 a.C. (Isaías teria começado cerca de 10 anos antes 750 a.C.)

Ezequias: 687 a.C., ou seja, por 63 anos.

 

Segundo a tradição, Isaías foi cerrado ao meio (Hb 11.37) pelo filho de Ezequias, o impiedoso Manasses, cerca de 680 a.C. (ele teria cerca de 120 anos)  

 

Isaías era um homem muito culto e tinha o dom da poesia, ele era familiarizado com a realeza de Judá e dava conselhos aos reis em relação à política externa.

 

Era casado com uma profetisa e tinha dois filhos, o mais velho,  Cap 7.3 – Sear-Jasube, que significa “um remanescente voltará” e o mais novo, Cap. 8.3 – Maer-Salal-Hás-Baz, que significa “rápido à presa, veloz ao despojo”

 

Contemporâneo dos profetas Miquéias e Oséias, ele advertiu o rei Acaz a não buscar ajuda dos assírios contra Israel e a Síria. Advertiu o rei Ezequias, depois da queda de Israel em 722 a.C., a não fazer alianças com nações estrangeiras  com a Assíria. Sua maior influência foi no reinado de Ezequias.

 

Autor: Isaías

Tema: Juízo e Salvação

Data escrito: cerca de 700-680 a.C.

Propósito: 1) mostrar o pecado; 2) profetizar esperança; 3) Messias

         

Divisão do Livro: 66 capítulos (como na Bíblia, onde 39 são do AT e 27 NT)

 

I Seção: Cap. 1-39 – passado

a) Cap. 1-12 - Exortações e Advertências, vinda do Messias

b) Cap. 13-23 – Profecia acerca das nações vizinhas (Assíria, Babilônia, Moabe, Egito, Filistia, Síria, Edom e Tiro)

c) Cap. 24-27 – Pecados e sofrimento do povo, promessa de salvação, um cântico de confiança em Deus

d) Cap. 28-31 – Maldições contra Efraim (Israel) e Jerusalém, especialmente por confiar em alianças estrangeiras

e) Cap. 32-35 – Promessas de um rei justo e do derramamento do espírito, transformação de deserto em jardim do Senhor

f) Cap. 36-39 – Libertação de Ezequias das mãos dos assírios e a prolongação de sua vida

 

II Seção: Cap. 40-66 – futuro

Predições, advertências e promessas de eventos posteriores ao cativeiro. Profecias muito ricas em referências messiânicas

O livro é um porta-jóia e o capítulo 53 a jóia.

 

 

 

 

Cap. 1 – Exortações e ameaças

 

O livro começa falando de visão – Isaias era um homem que tinha visões da parte de Deus.

 

Vers. 11 - Isaías começa falando dos pecados do povo, ele compara Judá com Sodoma e Gomorra e diz que Deus não quer mais os sacrifícios deles.

 

Os versículos 12 ao 17, mostra Deus falando e deixando bem claro que não estava aceitando os sacrifícios nem as orações daquele povo cheio de pecado, por outro lado, (v.18) Ele perdoaria tudo desde que se arrependessem e cessassem de fazer o mal.

 

Cap. 2 – A glória futura do verdadeiro Israel

 

Os versículos 1-5 terão cumprimento na segunda vinda de Cristo.

 

Os versículos 6-9 descrevem o pecado de Judá (Isaías sabia que para Deus perdoar aquele povo só mesmo se eles se arrependessem de coração)

 

Isaías já falava algo em relação ao reino do Norte – Israel, que seria entregue nas mãos dos Assírios.

 

Cap. 3 – Continuação profecias de coisas que viriam em Judá

 

Vers. 16 - as filhas de Sião, as mulheres de Judá eram conhecidas pelo apego a moda e pela beleza externa. Elas procuravam ser belas para despertar atração sensual.

 

Vers. 17 ao 24 – mostra o que o Senhor fará a elas.

 

Cap. 4 – Continuação – Renovo do Senhor – Messias

 

Vers. 2 - Fala de Jesus, aqueles que permanecerem firmes serão chamados Santos.

 

Cap. 5 – Parábola da Vinha

 

Mostra que Deus fez o possível para fazer de Judá, uma vinha frutífera, porém, não foi assim.

 

Esta parábola prenuncia a destruição do reino de Judá em 586 a.C.

 

Vers. 20 – Ai dos que chamam mal de bem... a sociedade tem aceitado tudo com muita facilidade e quem não aceita é chamado de extremistas, fanáticos religiosos, etc. Ex. Homossexualismo – não se importem com o que vão de chamar.

 

Cap. 6 – Isaías é escolhido e consagrado para profeta

 

No ano da morte do rei Uzias, esse capitulo sugere que Isaías já profetizava antes, esse ano foi cerca de 740 a.C., quando ele então teve uma visão do trono de Deus e ao ver a santidade de Deus, reconheceu que era um homem de lábios impuros e habitava no meio de um povo de impuros lábios.

 

Isaías foi purificado e designado profeta. Deus avisou que não seria fácil, que quando ele pregasse algumas pessoas iriam endurecer ainda mais seus corações, mas que uma pequena parte de Judá permaneceria firme.

 

Cap. 7 – Profecias contra Israel e Síria

 

O capítulo 7 relembra fatos ocorridos durante o reinado de Acaz (2Re 16.5) Acaz pediu socorro ao rei da Assíria, dizendo: Eu sou teu servo e teu filho, sobe e livra-me das mãos do rei da Síria e das mãos do rei de Israel.

 

Isaias havia dito para Acaz confiar em Deus e Acaz não o fez.

 

Nesse capitulo fala claramente sobre o que aconteceria com o reino do norte – Israel, também chamado Efraim.

 

Cap. 8 – A ruína dos reinos de Israel e da Síria

 

Vers. 3 – a esposa de Isaías: a profetisa e seu filho cujo nome é: Maer-Salal-Hás-Baz, que significa: rápido à presa, veloz ao despojo – o filho mais velho é citado no cap. 7.3

 

Vers. 8 – o que viria sobre o reino do Norte

 

Vers. 12 – Conjuração – Isaías foi acusado de conspiração e traição por dizer que não deveriam aceitar ofertar externas e o mesmo acontece quando não se aceita que o pecado entre na Igreja.

 

Cap. 9 – O advento e o poder do Messias

 

Isaías fala de um libertador que viria.

 

Vers. 6 - ...Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.

 

Vers. 8 – Ameaças contra o reino de Israel

A partir deste versículo, fala-se sobre o reino do norte – Israel ou Efraim, mostra a arrogância de Israel, nem com grande aflição eles se humilhavam a Deus.

 

Cap. 10 – Predição da ruína da Assíria

 

Deus tinha usado os Assírios para castigar seu povo. Agora Deus castigaria a Assíria pela sua arrogância e soberba. Esta profecia cumpriu-se quando o anjo do Senhor matou a 185.000 soldados do exercito assírio que sitiava Jerusalém (cap.37)

 

A partir do Vers. 20 – a mensagem é de esperança – aos fieis.

 

Cap. 11 e 12 – O Reino do Messias é pacífico e prospero

 

Tronco de Jessé, Pai de Davi, Jesus viria da linhagem de Davi. Faltava ainda 700 anos para Jesus nascer.

 

O pleno cumprimento da profecia do capítulo 11 se dará com a segunda vinda de Cristo.

 

Cap. 12 – Deus é louvado por haver restaurado seu povo

Continuação do capítulo 11 – sobre Jesus

 

Depois da segunda vinda de Jesus, tempo de paz, dando graças ao Senhor

 

Cap. 13 e 14 – A ruína da Babilônia e o livramento de Israel

 

Esse capitulo trata de Juízo final, quer dizer que todas as nações e todos os povos terão que prestar contas.

 

Babilônia – será destruída como Sodoma e Gomorra. Babilônia era um centro de cultura pagã (povos politeístas; individuo que não é cristão; não foi batizado) que opunha a Deus e aos seus caminhos.

 

As ruínas da Babilônia estão hoje no país chamado Iraque.

A queda de Babilônia teve várias etapas. A primeira foi o ataque a Babilônia pelos assírios em 689 a.C., quando então Senaqueribe capturou  a cidade. Depois, Babilônia retomou a seu antigo poder, no reinado de Nabucodonosor, mas foi então capturada em 539 a.C. por Ciro, do império persa. Em 518 a.C. a cidade foi devastada de novo, seus muros foram derribados e tornou-se uma ruína total.

 

Cap. 14 – Sobre a queda do rei da Babilônia (como satanás ou anticristo)

Este capitulo tem um tom profético e irônico ver Vers. 12 ao 15.

 

Também são apresentadas profecias contra os assírios e contra os filisteus

 

Cap. 15 e 16 – Predição da ruína de Moabe

 

Moabe sempre foi inimigo de Israel, portanto, também será destruída.

 

Cap. 16 – continua profecia contra Moabe

 

Cap. 17 – Profecia contra Damasco e Efaim (Israel – Reino do Norte)

 

Damasco, capital da Síria seria assolada. Efraim, por ter feito aliança com Damasco contra a Assíria, também sofreria.

 

Cap. 18 – A destruição dos assírios é anunciada à Etiópia

 

Cap. 19 e 20 – Profecia contra o Egito

 

A profecia contra o Egito é bastante dura.

 

Vers. 18 - Os egípcios temeriam Judá ao compreenderem que o castigo deles viera de Deus; Depois do sofrimento, cidades do Egito adorariam ao Senhor, Os egípcios clamariam a Deus que lhes enviaria um Salvador e muitos se voltariam a Deus; Egito, Assíria e Israel adorariam todos juntos a Deus (sugere-se que este período seja o período de tribulação)

 

Cap. 20 – Profecia simbólica do cativeiro dos egípcios e dos etíopes

 

Vers. 3 – Isaias andou nu e descalço por 3 anos. Embora isso lhe desse vergonha, ele o fez em obediência a Deus e também para mostrar o que acontecia com o Egito.

 

Cap. 21 – Predição da queda da Babilônia

 

Isaias teve uma segunda visão sobre a queda de Babilônia, Babilônia cair, significa que tudo que está contra a Deus, certamente cairá.

 

Cap. 22 – Quadro profético do cerco de Jerusalém

 

Vers. 4 – Isaías chorava ao ver o povo pecando e caindo cada vez mais.

 

Cap. 23 – A ruína e restauração de Tiro

 

Tiro era um centro comercial situado na orla marítima. Seus cidadãos eram ricos, mas também cheios de iniqüidade  e de orgulho. Isaías profetizou que Deus abateria aquela cidade durante 70 anos.

 

Vers. 17 – Ficaria no esquecimento por 70 anos. “Prostituta” porque Tiro tinha práticas pecaminosas e desonestas no seu comércio.

 

Os capítulos 24 ao 27 tratam dos eventos do fim dos tempos, em linguagem apocalíptica . Falam de Juízo Divino sobre o mundo, por causa dos seus pecados e também das bênçãos que Deus tem preparado para os seus.

 

Cap. 24 ao 27 (ver I Seção d) )– Julgamento divino sobre a terra “a grande tribulação”

 

Vers. 14 – Para os santos e fiéis haverá alegria

 

Vers. 16 – Isaías se preocupava com aqueles que iriam padecer “ai de mim...”

 

Cap. 25 – Vers. 8 – Toda lágrima será enxugada naquele dia (no céu)

 

Cap. 26 – Vers. 8,9 – Nos últimos tempos, o povo de Deus ficará ansioso esperando que Jesus volte logo.

 

Cap. 27 – Continuação

 

Cap. 28 ao 31, Isaías volta a profetizar a respeito de Israel (Efraim) e de Judá

Maldições anunciadas contra Efraim e Jerusalém, especialmente por confiar nas alianças estrangeiras.

 

Vers. 7 – Erram por causa do vinho. Isaías falava das bebedices

 

Vers. 11 – Outra língua – Os Assírios que falavam outra língua que os israelitas não entendiam

 

Vers. 16 – Pedra – Jesus Cristo

 

Cap. 29 – Vers. 1 – Ai de Ariel (Ariel é um nome simbólico de Jerusalém

 

Vers. 13 – O povo seguia um ritual mais seu coração estava longe do Senhor.

 

Isaías sempre falava do lado bom de servir ao Senhor, sempre mostrava as recompensas

 

Cap. 30 Vers. 1 – Tomaram conselho mais não de mim.

 

O Senhor estava falando sobre a aliança que Judá havia feito com o Egito para proteger da Assíria, depois dessas coisas em 2 Re 19.14 Ezequias recebe a atrevida carta de Senaqueribe e Ezequias orou ao Senhor.

 

Vers. 10 – O povo não aceitava que as palavras dos profetas fossem duras, eles só queriam ouvir palavras boas

 

Vers. 21 – Este é o caminho andai nele, sem vos desviardes nem para direita nem para esquerda...

 

Cap. 31 – Ai

 

Ai daqueles que confiam mais nos carros de Faraó do que em Deus

 

Cap. 32 – Rei Justo (Cristo reinando)

 

Palavra de esperança, porém a partir do vers. 9 – Levantai-vos mulheres... tem um chamamento para que haja despertamento, mudança, não deixar que o pecado entre na Igreja, não aceitar as coisas do mundo. Viria um tempo de paz.

 

Cap. 33 e 34  – Os inimigos do povo será destruído – Jerusalém será restaurada

 

Vers. 1 – Ai de ti despojador – trata da Assíria, no futuro, trata do anticristo e ao próprio Satanás

 

Cap. 34 – Inimigos de Deus serão derrotados

 

Cap. 35 – A grandeza e a gloria do Reino do Messias

 

Enquanto que o capítulo anterior fala do castigo com os pecadores esse capítulo trata das coisas boas para aqueles que permanecem firmes o lado bom.

 

Cap. 36 – Senaqueribe cerca Jerusalém; A oração de Ezequias; O exercito dos Assírios é destruído

 

Os capítulos 36 ao 39 formam um paralelo com 2 Re 19-20

 

Vers. 7 – Rabsaqué, comandando do exercito do Rei da Assíria, procurava intimidar o Ezequias

 

Vers. 15 – Rabsaqué blasfemava, ele sugeriu que só mesmo com um milagre, é como se Deus não pudesse destruir o exercito Assírio.

 

Cap. 37 – Ezequias rasgou suas vestes

 

Quando Ezequias ficou sabendo dessas coisas, foi orar ao Senhor

 

Vers. 7 – O exercito da Assíria foi destruído

 

Vers. 14  - As cartas de afronta – Ezequias ora ao Senhor

 

Isaias foi usado por Deus para falar com Ezequias e disse que pela blasfêmia dos assírios que Ele (Deus) iria cuidar de tudo.

 

Vers. 36 – O Anjo do Senhor feriu o exercito  e 185.000 soldados morreram. Depois disso Senaqueribe fugiu para Nínive e seus filhos o mataram

 

Cap. 38 – A doença de Ezequias e sua cura maravilhosa

 

Cap. 39 – Os embaixadores da Babilônia

 

Nessa época Babilônia estava tentando libertar-se do domínio da Assíria. Essa visita do rei de Babilônia a Jerusalém era claramente uma tentativa de aliança política.

 

Ezequias ficou muito alegre com aquela visita e mostrou todo tesouro da casa do rei, depois Isaías lhe disse que os Babilônicos iriam destruir Jerusalém  e foi o que aconteceu cerca de 150 anos depois.

 

II Seção – Cap. 40 – tempos futuros pós-exílico

 

Os capítulos 40 ao 66 foram escritos durante os últimos anos da vida de Isaías

 

Vers. 1 – Consolo – tempo de paz

 

Vers. 3 – Voz do que clama do deserto (João Batista) João ensinava que a maneira de preparar-se para a vinda do Senhor era com arrependimento Mt 3.1-8

 

As profecias de Isaías tem mais de uma aplicação, 1) à restauração dos Judeus exilados; 2) A vinda de Cristo; 3) Novo céu e nova terra

 

Vers. 31 – Esperança do crente

 

Cap. 41 – Jeová é o único Deus, Israel deve ter confiança unicamente nEle

 

Vers. 2 – Ciro rei da Pérsia, aquele que fez passar pregão por toda a terra dizendo que os Judeus poderiam voltar para Jerusalém, essa profecia foi mais de 150 anos antes do seu nascimento.

 

Vers. 10 – Não temas... são palavras de Deus para nós

 

Cap. 42 – O Servo do Senhor (Jesus Cristo)

 

Vers. 7 – Coisas que Jesus fazia

 

Cap. 43 – Só Deus resgata Israel

 

Esse capitulo fala da libertação de Israel (Judá) do cativeiro babilônico por causa do amor de Deus para com seu povo.

 

Cap. 44 – A soberania de Deus. A vaidade dos ídolos

 

Vers. 3 – Isaias profetisa sobre um derramamento do Espírito Santo, essa profecia teve seu cumprimento parcial no dia de Pentecostes para que seja cumprida por completo quando os Israelitas aceitarem a Jesus como o Messias – Rm 11.25,26

 

Cap. 45 – Vers. 1 – Ciro “ungido”

 

O termo ungido foi empregado a Ciro por ele ser usado por Deus para Liberar o povo Judeu permitindo que eles voltassem para Jerusalém.

 

Cap. 46 – A queda dos ídolos da Babilônia

 

Vers. 1 – Bel, Nebo – eram deuses da Babilônia, era o deus do saber da literatura e da astronomia. Ele não pode livrar Babilônia da destruição.

 

Cap. 47 – A queda de Babilônia

 

Babilônia era um lugar de um povo pagão que viviam prazeres sensuais e  confiantes em si mesmos e seus deuses.

 

Cap. 48 – Arrazoamento, admoestações e promessas de Deus para com Israel

 

Vers. 1 – Judá era um povo que parecia seguir a Deus, porém rejeitava suas verdades, praticavam religião mais não davam primeiro lugar a Deus.

 

Fala-se também de coisas novas – o Messias

 

Cap. 49 – O servo do Senhor é a luz dos gentios

 

Jesus Cristo, sua missão é mostrado que desde o ventre de sua mãe, o ventre da virgem Maria.

 

Vers. 6 – A Missão do Messias é fazer com que todas as nações ouçam o Evangelho e tenham a oportunidade de crer em Jesus. Temos que pregar o evangelho de modo que todos conheçam, quando todos conhecerem ai então será o fim Mt 24.14

 

Cap. 50 – O Servo do Senhor ultrajado e socorrido

 

Esse capitulo mostra sobre o caráter e o sofrimento do Messias.


Vers. 5 e 6

 

Cap. 51 e 52 – A restauração e salvação de Israel

 

Animo para o povo de Deus, também lembra do exílio

 

Cap. 53 – A vinda do Messias

 

A Igreja deverá ler todo o capitulo 53 de Isaías

 

Cap. 54 – O progresso e a gloria de Sião

 

Mostra o sofrimento dos exilados e depois a alegria

 

Vers. 9 – Não haverá mais ira – Eternidade

 

Cap. 55 – Todo o povo é convidado a procurar a salvação

 

Vers. 6 – Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, envocai-o enquanto está por perto .

 

Os Israelitas (Judeus) são convidados a buscar a Deus

 

Cap. 56 – Promessas àqueles que guardam o sábado

 

Vers. 7 – “casa de oração” Jesus usou essas palavras quando expulsou os cambistas do templo, eles eram homens cobiçosos e não fugiam das bebidas

 

Cap. 57 – Vers. 1 – Perece o Justo,

 

Os crentes estavam sendo maltradados em Judá.

O judeus deixaram Deus e passaram a adorar a deuses pagãos

 

Cap. 58 – Vers. 2 – Judá buscava a Deus, queria conhecê-lo, mais não conseguia se entregar por inteiro

 

Vers. 6 – O Jejum que agrada a Deus, tem que ser também com ajuda aos pobres

 

Vers. 10 – Tendo amor para com os outros, o Senhor abençoa

 

Cap. 59 – Vers. 1 – É o nosso pecado que nos afasta de Deus

 

Vers. 16 – Deus viu que não tinha ninguém pelo povo, foi então que ele mesmo, ou seja, Jesus Cristo veio para salvar e libertar o mundo

 

Cap. 60 – Jerusalém é restituída à sua gloria

 

Vinda do Messias, sua missão, seu trabalho nesta terra.

 

Cap. 61 – A Salvação é proclamada 

 

Vers. 1 – Jesus citou esses versículos e os aplicou a si mesmo. Lc 4.18,19

 

Cap. 62 – A gloria futura de Jerusalém

 

Haverá um dia em que Jerusalém terá paz, descanso

 

Vers. 11 – Segunda vinda de Cristo

 

Cap. 63 e 64 - Deus salva e vinga o seu povo

 

Julgamento Divino

 

Cap. 65 – Deus promete ouvir a oração e conceder bênçãos aos seus servos

 

Deus responde a oração de Isaias

 

Cap. 66 – A rejeição final dos rebeldes

 

Deus ama aqueles que são humildes a Ele porém quanto aqueles que são rebeldes, esses Ele os rejeitará

 

Vers. 22 – Novos céus e nova terra